sexta-feira, 28 de maio de 2010

Espetáculo dos Sentidos

Tua voz, bela melodia

sussurada ao pé do ouvido.

Me delicio, fico perdido,

tomado pela fantasia.

Teu corpo, escultura

perfeita, uma pintura.

Me delicio, sem ação

tomado pela sedução.

Tua pele se arrepia,

macia, parece veludo.

Me delicio, fico mudo

tomado pela magia.

Teu aroma entorpece:

perfume natural, doce.

Me delicio, viro ator,

tomado pelo amor.

Tua boca, vários sabores:

beijo recatado, ousado.

Me delicio, apaixonado,

tomado pelo descontrole.

Espetáculo dos sentidos,

teu unico defeito (ou não),

é nao ter - de fato - existido,

senão em sonho, imaginação.

Robson Ribeiro

8 comentários:

  1. hahahahah surpreendeu no final...de novo...sempre um balde de água fria...

    ResponderExcluir
  2. Em tempo: ficou bonito o novo visual do Blog.

    ResponderExcluir
  3. Robson...
    Que belo poema. Sentimento saindo por todos os poros.
    A magia, o encanto do momento é justamente essa mistura de sonho com realidade. Não sabemos onde começa ou termina cada um. Então perpetuemos o momento e o espetáculo dos sentidos.
    Gostei muito.
    Bjos
    Patricia

    ResponderExcluir
  4. huuummmm... a mulher idealizada em nossos momentos de sexo solitário.... BBB ( boa, burra e boca fechada) quiaquiaquiaquiaquiaquia

    ResponderExcluir
  5. balde de água fria.
    isso pq, pra vc, é um texto.
    imagina pra quem sente...

    ResponderExcluir
  6. tava precisando dar uma renovada =)

    ResponderExcluir